Maria Balteira e i dadi (Pero Garcia Burgalês, 125,19)